quarta-feira, junho 08, 2005

Soneto ao Corneto

Em manhãs muito quentes
e tardes de muito calor,
muitos batem os dentes
e outros deitam fedor.

Incêndios são postos
e arvores queimadas,
umas sofrem desgostos
outras ficam deleitadas.

Está calor em Portugal
e na Suécia faz frio,
vem para cá as gajas
a arfar com o cio.

Para o Algarve,
em "sex trips" vão,
colecionando orgasmos
com gajos cheios de tesão.

Com os bicos túmidos ficam,
e de rata molhada estão,
fodem durante toda a noite
ou até durar a erecção.

De verga túrgida andam,
em discotecas marcham,
os moçoilos no Algave
e as estrangeiras que os papam.

Nesta estação de veraneantes
há muito panhonha,
que para de férias ir
perdem toda a vergonha.

Um crédito vão pedir
ou a agiotas recorrem,
e é de apaludir
como aos bancos acodem.

É no nosso Portugal
em que isto tudo acontece,
em que um come frango
e o outro emagrece.

1 comentário:

jota disse...

bravo bravo! dizes é mtas asneiras... como "agiotas", "túrgida", "túmidos" ou mesmo "apaludir"... à lá ber isso!!